segunda-feira, abril 27, 2009

O RAPAZ DO PIJAMA ÀS RISCAS (The Boy in the Striped Pyjamas) de Mark Herman

Sinopse: Alemanha, II Guerra Mundial. Bruno, de oito anos, filho de um oficial nazi, é levado por seu pai para uma nova residência, paredes meias com o campo de concentração que seu pai dirige. Fugindo ao controlo familiar Bruno observa o que se passa para lá da área da residência, do outro lado do arame farpado em que todos se vestem com "pijamas às riscas". À distância cria amizade com uma criança judia, da sua idade, o que virá a ter consequências dramáticas.

8 comentários:

Anónimo disse...

Decididamente um dos filmes mais fortes que vi nos últimos anos. É brilhante a economia de meios com que Herman filma e o facto de nunca recorrer a cenas chocantes para atingir os seus fins. Psicologicamente forte, é daqueles filmes que dificilmente nos esqueceremos. Há muitos filmes sobre o holocausto nazi, mas o facto de aqui tudo ser visto pelo olhar de uma criança de 8 anos, dá-lhe uma dimensão que muitos falham em atingir. A não perder!- Jorge

Anónimo disse...

Realizado com evidente respeito pela obra original, O Rapaz do Pijama às Riscas pode satisfazer, mas não será suficiente para encantar. Numa altura onde outros títulos de maior destaque se avizinham no horizonte, esta história simples acerca de um mundo complicado, prejudica-se ao não se permitir em arriscar. Não é uma questão relativa a actores, não é responsabilidade do argumento. É simplesmente uma questão de visão.

Anónimo disse...

O que mais gostei no filme foi o facto de termos visto as coisas pelos olhos de uma criança. As crianças foram o melhor do filme … estiveram muito bem. - Sónia Carvalho

Anónimo disse...

Eu adorei especialmente a mãe… mas o actor que interpreta o protagonista, Bruno, consegue ser uma criança a representar um papel de… uma criança!… isso estranhamente começa a ser raro nos dias que correm!… Nuno

Anónimo disse...

Concordo plenamente.
Dos melhores dos ultimos tempos diria até.
É dificil ou até mesmo esquecermo-nos deste filme, toca-nos de uma maneira muito invulgar mas no entanto utiliza meios muito simples..

Por vezes é triste o facto de um filme tão bom e ter tao pouca publicidade... - ANA

Anónimo disse...

Um belo pequeno filme que não merece passar despercebido no meio das muitas estreias candidatas aos Óscares.

geocrusoe disse...

gostei muito, um filme do holocausto que relata o horror através da ternura, duma fotografia bela, duma banda sonora simpática, dum evoluir calmo da história, de diálogos humanos e duma interpretação consistente e calma... uma forma diferente de denunciar um genocício sem recurso à violência, mas sim ao seu oposto.

Mark disse...

Confesso que não gostei muito. Achei o desenrolar da história demasiado óbvia que terminaria em tragédia com uma das personagens ingénuas do filme...o miudo...! A banda sonora muito pouco subtil, demasiado presente no filme. Uma fraca interligação entre actores.
O melhor: A interpretação do miudo.
0 - 5...2