segunda-feira, março 16, 2009

A ONDA (The Wave) de Dennis Gansel

Sinopse: Alemanha, nos dias de hoje. No âmbito da Área de Projecto, o professor de liceu Rainer Wenger (Jurgen Vogel) propõe uma experiência, para explicar aos seus alunos como é que funcionavam os governos totalitários. Começa assim um jogo de personagens cujos resultados serão trágicos. Ao fim de algum tempo, o que começou com inofensivas noções sobre disciplina e vivência em comunidade transforma-se num verdadeiro movimento: "A Onda". Ao terceiro dia, os estudantes começam a ostracizar-se e a ameaçarem-se uns aos outros. Quando o conflito finalmente estala em violência, o professor decide interromper a experiência. Mas é demasiada tarde. "A Onda" está fora de controlo...

5 comentários:

Anónimo disse...

Um bom exemplo do “novíssimo” cinema alemão, Die Welle trata da possibilidade do ressurgimento de movimentos totalitários e excluentes, inspirado em uma história real de experimento em sala de aula feito nos Estados Unidos em 1967. O filme tem um ritmo veloz, bem dirigido, com um argumento que consegue segurar a atenção e manter um certo suspense - sem transformar a história em algo pesado ou fictício demais - e, para fechar a regra de um bom filme, com interpretações bastante convincentes. Uma história curiosa sobre a manipulação de pessoas, a falta de rumo e de valores de uma sociedade consumista e individualista e os rumos que ela pode tomar.

Anónimo disse...

Filme que dá que pensar. História bastante interessante sobre as relações em grupos e as suas dinâmicas. Luís Dias

Anónimo disse...

Numa sociedade cada vez mais ambivalente em termos de valores culturais, isentos de qualquer tipo de ordenação e cada vez mais descaracterizadas, basta uma pessoa com carisma suficiente a oferecer um sentido de ordem, unidade e identidade a um grupo, que facilmente moverá massas. Crítico sem nunca cair no burlesco. - Pedro

geocrusoe disse...

para os princípios do cineclube, defender o cinema europeu e outros, nunca deveria estar no título a tradução para inglês do nome original do filme na língua europeia, por acaso a mais falada no continente: "Die Welle", nunca "The wave".
Sobre o filme espero mais logo poder falar

geocrusoe disse...

agora que já vi o filme posso precisar que gostei imenso. Com um narração muito linear e personagens estereotipados para apresentarem os diversos tipos de comportamento pretendidos, o filme consegue o seu objectivo de ensinar os sinais de alertas para a instalação de uma ditadura, acabar com o mito de que numa sociedade esclarecida esta não tem lugar e ser cativante.
Com um ritmo acelerado mais próximo da escola de hollywood do que alemã, o realizador não se perde e vai directo ao objectivo. Sem ser uma obra de arte em si, é sem dúvida o filme para reflectir e discutir fora da sala